5º Encontro Estudantil – Álbuns Patrimoniais mostram belezas naturais e culturais da Bahia

14_12

As igrejas, os quilombos, as parteiras e as folhas secas do sertão são alguns dos patrimônios revelados pelos estudantes da rede estadual, por meio do projeto Educação Patrimonial e Artística (EPA), que compõe o 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual, realizado pela Secretaria da Educação do Estado,  até está quinta-feira (23), com entrada gratuita na Arena Fonte Nova, em Salvador. Os estudantes criaram álbuns e caixas contendo textos e fotografias que valorizam, resgatam e contam as histórias sobre os patrimônios culturais dos lugares onde vivem. As embalagens das obras são confeccionadas manualmente com materiais que identificam e remetem a esses lugares abordados de forma criativa e simbólica.

>> Clique aqui para ver todas as fotos

>> Veja toda a programação

Com o álbum “Marcas de sangue negro no território mansidoense” confeccionado em grupo, os estudantes Isadora Alves, 18, 2º ano, e Ramsés das Neves, 17, 3º ano, do Colégio Estadual Professora Maria Helena Oliveira, localizado em Mansidão, fazem um resgate cultural da região onde vivem. “Moramos no povoado de Tamboril, que foi um quilombo há vários anos atrás, e onde, na maioria das pessoas corre o sangue nas veias do povo negro, que ajudou a construir vários patrimônios, a exemplo de igrejas. Na caixa do álbum, fizemos um mosaico com azulejos. A capa do álbum foi feita com colagens de raspas de madeira e nas páginas foram aplicados pedaços de esteiras de palha”, revela.

O projeto Educação Patrimonial e Artística (EPA) promove o desenvolvimento de ações essenciais para o exercício do direito à cultura, para a defesa dos históricos e artísticos, com vistas à formação de uma nova mentalidade cultural e ao estímulo das práticas culturais de identificação, reconhecimento e preservação do patrimônio cultural baiano.

Estudantes irão expor 94 obras de artes visuais na Arena Fonte Nova

Mostra de Artes Visuais Estudantis na Flica - Foto Marçal Dutra (4)

As experiências criativas dos estudantes da rede estadual retratadas em 94 obras estarão expostas na 9ª Mostra de Artes Visuais Estudantis (AVE), dentro do 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual, de 21 a 23/11, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O Encontro será aberto ao público, das 8h às 18h, e reunirá, ao todo, mais de 4 mil estudantes dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), que irão apresentar, ainda, projetos de ciência, esporte, cultura, empreendedorismo, inovação, tecnologia e de intervenções sociais.

Pelo AVE, o público visitante poderá conferir quadros, através dos quais os alunos revelam a sua percepção de mundo – seja pela vida cultural, social, política ou religiosa – que os cerca. Este projeto tem o objetivo de estimular a criação de obras de artes visuais nos contextos escolares,assim como a va­lo­ri­zação das ex­pres­sões cul­tu­rais re­gi­o­nais, visando a am­pli­ação do co­nhe­ci­mento. Os estudantes que irão expor no Encontro Estudantil passaram por seletivas escolares e territoriais, durante o ano letivo de 2016.

A coordenadora de Projetos Intersetoriais da Secretaria da Educação do Estado, Nide Nobre, destaca o valor das obras finalistas do AVE. “Os nossos artistas apresentam autorretratos de sua vida estudantil, bem como revelam sua visão de mundo sobre tudo ao seu redor. Não há nada na natureza e na sociedade que escape da sensibilidade deles e eles apreendem o mundo em em preto e branco e em traços coloridos, mostrando a multidisciplinaridade da vida cultura e artística em pinturas que realçam temas diversos”.

Temáticas – Por caminhos distintos e usos de técnicas variadas, acrescenta a coordenadora, os estudantes, independente da linguagem artística, abordam a complexidade e a diversidade da vida cultural, retratando a beleza do mundo oriunda da natureza (o mar, os rios, o sol, as matas, as flores, as aves, as borboletas) e do cotidiano da vida social, das expressões de lugares reais e imaginários, do ambiente escolar e do mundo do conhecimento e das expressões e manifestações culturais (negros, índios, mestiços, mulher, corpo e sedução).

Temas como a seca do Nordeste; o desmatamento; a violência contra a mulher, a temporalidade como expressão de vida; as diferenças sociais; a importância da leitura e a liberdade, em uma releitura nas artes visuais de Navio Negreiro, em comemoração aos 170 anos de Castro Alves, entre outros tantos, estarão estampados nos quadros de autoria dos estudantes, no Nivel 6 da Arena, durante o encontro.

 Artes visuais – Criado em 2008, o Artes Vi­suais Es­tu­dantis (AVE) trata de um pro­jeto pi­o­neiro da Secretaria da Educação do Estado, de ca­ráter edu­ca­tivo, ar­tís­tico e cul­tural, en­volvendo es­tu­dantes do 6º ano do En­sino Fun­da­mental ao 3º ano do En­sino Médio e equi­va­lentes (Edu­cação de Jo­vens e Adultos – EJA, En­sino Normal e Tec­no­ló­gico) da rede es­ta­dual, além de pro­fes­sores de Língua Por­tu­guesa, Arte e dis­ci­plinas afins, co­or­de­na­dores pe­da­gó­gicos, di­re­tores das es­colas e dos Nú­cleos Ter­ri­to­riais de Edu­cação (NTE) e téc­nicos da Se­cre­taria.

5º Encontro Estudantil da Rede Estadual terá 240 projetos na Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia

download

Projetos de iniciação científica desenvolvidos pelos estudantes da rede estadual de ensino da capital e interior do Estado serão apresentados na 6ª Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (FECIBA), durante o 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual, que acontece de 21 a 23 de novembro, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O Encontro será aberto ao público, das 8h às 18h, e reunirá, ao todo, mais de 4 mil estudantes de toda a Bahia, que irão apresentar, ainda, projetos de arte, esporte, cultura, tecnologia e de intervenções sociais.

A FECIBA reunirá 240 trabalhos finalistas, que foram selecionados após seletivas escolares e territoriais realizadas durante o ano de 2016. São experimentos e produções científicas que tratam de temas de relevância social, com foco em questões como inovação tecnológica, meio ambiente, sustentabilidade, empreendedorismo, saúde e bem-estar. A FECIBA faz parte do Programa Ciência na Escola, cujo objetivo é despertar nos estudantes o interesse pela pesquisa científica através de projetos que buscam solucionar problemas existentes na comunidade onde eles vivem.

Os estudantes protagonistas dos projetos científicos virão de várias partes da Bahia e estarão em atendimento ao público, detalhando os seus projetos, das 9h às 17h, nos estandes montados no nível 5 da Arena Fonte Nova. A premiação dos projetos vencedores acontecerá no dia 23 de novembro, das 14h às 17h30, no auditório do nível 8. Além da exposição dos projetos científicos, os visitantes também poderão participar de atividades como mesas-redondas como “As Feiras Matemáticas” e de oficinas, a exemplo da “Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente”.

A coordenadora do Programa Ciência na Escola, Shirley Costa, destaca a importância da FECIBA. “A FECIBA é um dos principais produtos do Programa Ciência na Escola e faz parte deste grande movimento que a Bahia institucionalizou em todas as escolas da rede através da arte, cultura, ciência e literatura. São diversas linguagens sendo demonstradas nesta culminância do 5º Encontro Estudantil e esta feira representa o fechamento de um ciclo em que os estudantes vão ter a oportunidade de expor as suas produções desenvolvidas durante todo o ano de 2016. Eles vão poder socializar para os colegas e despertar o desejo de fazer parte deste grande evento”, comemora.

Começam nesta terça (14) as inscrições para o concurso para professores e coordenadores pedagógicos

diario-oficial

Começam, nesta terça-feira (14), as inscrições para o concurso público para professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual de ensino, promovido pelo Governo do Estado da Bahia, por meio das Secretarias da Educação e Administração. São 3.760 vagas, sendo 3.096 para professores e 664 para coordenadores pedagógicos. As inscrições prosseguem até o dia 12 de dezembro, custam R$ 100 para ambos os cargos, e serão feitas exclusivamente, via internet, pelo site da Fundação Carlos Chagas, empresa responsável pela aplicação das provas. 

O secretário Walter Pinheiro disse que o concurso será para 40 horas semanais e representa uma das ações estratégias que vêm sendo adotadas pelo Estado para fortalecer o eixo pedagógico nas escolas estaduais. “Este concurso vem sendo esperado há muito tempo pelos educadores e o governador Rui Costa, mesmo diante da situação econômica do país, tomou esta decisão que fortalece o eixo pedagógico das escolas e, consequentemente, a nossa qualidade do ensino”, afirmou Pinheiro, ao destacar que a iniciativa vai potencializando a oferta da Educação em Tempo Integral na rede. “A nossa meta é caminhar para uma escola que funcione o dia todo, com atividades culturais e cursos profissionalizantes. Daí a importância de termos professores com uma carga horária de 40 horas de dedicação à escola, bem como a presença do coordenador pedagógico em todas as unidades da rede estadual”, afirmou.

Oferta
As vagas para professores são para diversas áreas do conhecimento, como por exemplo, os com licenciaturas em Ciência Biológicas, Ciências Naturais, Ciências Humanas, Ciências da Sociedade, Filosofia, Artes, Educação Física, História, Artes, licenciatura interdisciplinar em Linguagens e Códigos e suas Tecnologias, Matemática ou licenciatura interdisciplinar em Matemática e Computação e suas Tecnologias, habilitação em Química oriundo de curso superior. Para coordenador pedagógico, é preciso ter curso de Pedagogia. Tanto para professor quanto para coordenador pedagógico é exigido diploma registrado de conclusão de curso superior de graduação, conforme estabelecido no edital, devidamente registrado, fornecido por Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Remuneração
Para o cargo de professor padrão P, grau IA, a remuneração inicial é constituída pelo vencimento básico no valor de R$ 2.145,36, acrescido de Gratificação de Estímulo às Atividades de Classe, no percentual de 31,18% incidente sobre o vencimento básico, no valor de R$ 668,92, perfazendo um total de  2.814,28. Para o cargo de Coordenador Pedagógico, Padrão P,  grau IA, a remuneração inicial é constituída pelo vencimento básico no valor de R$ 2.145,36, acrescido de Gratificação por Condições Especiais de Trabalho, no percentual de 34,75%, incidente sobre o vencimento básico, no valor de R$ 745,51, totalizando R$ 2.890,87.

Aplicação das Provas
O concurso terá três etapas. As provas objetivas (1ª etapa) e discursivas (2º etapa) serão aplicadas no dia 25/02/2018, para todos os cargos, no período da manhã, nas cidades de Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista. Somente será corrigida a prova discursiva dos candidatos habilitados e melhores classificados nas provas objetivas. A terceira etapa é a prova de títulos, para fins de pontuação dos candidatos habilitados na prova discursiva.

Secretaria da Educação promove o 5º Encontro Estudantil na Arena Fonte Nova

03_1

Mais de 30 mil estudantes da rede estadual de ensino deverão participar do 5º Encontro Estudantil: ciência, arte, esporte e cultura, de 21 a 23 de novembro, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Vindos de todas as regiões do Estado, cerca de quatro mil estudantes criadores irão expor produções científicas, artísticas, esportivas e culturais desenvolvidas durante o ano letivo 2016 nas escolas. A abertura oficial será realizada no dia 21, às 9h, no Salão das Artes (Nível 6). O encontro será aberto para a visitação pública, das 8h30 às 18h.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, disse que o Encontro Estudantil reflete as políticas públicas implementadas pelo Governo do Estado da Bahia, que contribuem para uma escola mais dinâmica. “O Estado vem investindo pelo fortalecimento pedagógico nas escolas e o Encontro Estudantil é um reflexo destas ações, que promovem o protagonismo dos nossos estudantes, por meio dos projetos capitaneados pelos professores em sala de aula”, afirmou.

Durante estes três dias, o principal palco do futebol da Bahia abre espaço para a música, as artes visuais, a literatura, o cinema, o patrimônio, os esportes, a dança, as ciências, a matemática, a educação profissional e tecnológica, para a educação de jovens e adultos, a inovação, o empreendedorismo e a tecnologia, entre muitas outras ações formativas e educativas, por meio de projetos estruturantes desenvolvidos nos contextos escolares.

Os estudantes criadores dos distintos projetos artísticos que participarão dos cursos preparatórios, acompanhados de professores e coordenadores, começam a chegar à capital baiana no dia 16 de novembro, quando os estudantes iniciam a participação em diversas oficinas, como literatura, canto e expressão corporal. As ações são preparativas para as apresentações das finais de cada projeto que ocuparão os níveis 3, 4, 5 e 6 da Arena Fonte Nova, além de atividades de preparação em estúdios, hotéis e em campo para a apropriação do conhecimento.

Projetos 
O Encontro envolverá os seguintes projetos: Festival Anual da Canção Estudantil (FACE), Artes Visuais Estudantis (AVE), Tempos de Arte Literária (TAL), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Produção de Vídeos Estudantis (PROVE), Mostra de Dança Estudantil (DANCE), Encontro de corais (ENCANTE), Festival Estudantil de Teatro (FESTE) e a Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia (FECIBA). O evento também contará com os festivais de judô, xadrez, capoeira e Rugbyb, além de basquetebol especial, voleibol, futsal, handebol, basquete e vôlei, dos Jogos Estudantis da Rede Pública (JERP).

O encontro contará, ainda, com a Feira de Tecnologias Sociais da rede Estadual de Educação Profissional e Tecnológica da Bahia: território e intervenção social e com o Espaço Professor/Empreeendedor.  A atividade inclui a tenda digital, além de Simulador de Voo e da Caixa Preta, do Centro Juvenil de Ciência e Cultura.

Na programação, ainda, constam o segundo Encontro Estadual de Líderes de Classe, Exposição dos 10 anos do programa Todos pela Alfabetização (TOPA), contação de histórias e Transmissão do evento, ao vivo, para os estudantes das telesalas de aula do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC). A atividade marcará os lançamentos da Plataforma Anísio Teixeira e do Programa ‘Nas Ondas da Rede’ da Rádio Anísio Teixeira, a realização de palestras sobre a vida e obra de Anísio Teixeira, bem como de apresentações sobre o Instituto Anísio Teixeira e centros de formação de profissionais da Educação do país.

Secretaria dialoga com gestores municipais sobre Educação Escolar Quilombola

07_1

Com a finalidade de discutir a implementação das diretrizes da Educação Escolar Quilombola na Bahia, cerca de 300 gestores municipais participaram, nesta sexta-feira (10), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, do encontro Educação Escolar Quilombola – História, Cultura e Políticas Educacionais. O evento, promovido pela Secretaria da Educação do Estado e que faz parte da programação de ações voltadas para o Novembro Negro, contou com a presença do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

De acordo com o secretário Walter Pinheiro, as discussões sobre a temática são essenciais para a Educação. “Estes seminários são importantes para a Secretaria ir diagnosticando e enxergando quais são as suas lacunas, as ausências que ao longo do tempo foram se estabelecendo na Educação Quilombola. A gente, com isso, também vai compreendendo qual é o nosso dever e obrigação e como é que nós temos que trabalhar em todas as frentes para a Educação da Bahia, discutindo e compreendendo o território, a cultura, a identidade e o conteúdo que tem que vir exatamente das bases, desse conjunto de debates e da identificação, para que, de uma certa forma, se tire este contexto de entregar pacotes prontos e elaborados”.

Segundo a coordenadora de Educação do Campo e Quilombola da Secretaria da Educação do Estado, Givandete Evangelista, o encontro é necessário para ampliação da discussão da oferta de uma educação a partir da ancestralidade e da cultura dos povos quilombolas. “A Bahia já tem algumas conquistas nesta caminhada, como as Diretrizes Curriculares Estaduais para a Educação Escolar Quilombola. Hoje, estamos aprofundando o nosso conhecimento referente a essas diretrizes para pensarmos coletivamente em propostas para efetivar a Educação Escolar Quilombola nas comunidades, pois nós temos na Bahia mais de 700 comunidades quilombolas reconhecidas e certificadas, que precisam de uma atenção diferenciada”, destaca.

A secretária municipal de Educação de Central, Claudia Bruno da Silva, afirma que as discussões sobre as diretrizes são esclarecedoras. “O nosso município possui escolas quilombolas e ainda não foram implantadas as diretrizes curriculares para esta modalidade. Esperamos trazer à luz da Educação de qualidade, a possibilidade de romper com a invisibilidade dos nossos alunos e comunidades quilombolas para a afirmação da identidade e para o desenvolvimento do pertencimento”.

Já o secretário municipal de Educação de Bom Jesus da Lapa, Luiz Ricardo Braga, também fala sobre a importância do debate. “Traçar a questão da história e o fortalecimento da resistência negra no Brasil tem sido muito difícil e a materialização de um currículo escolar que dê conta da especificidade da Educação Quilombola é um desafio. Por isso, nós estamos atentos à implantação destas políticas públicas”, afirmou.

Projetos Artísticos e Culturais- Etapa Territorial

20171107_090354

Está acontecendo durante todo o dia de hoje terça-feira (07/11), no Palácio das Artes, exposição do AVE (Artes Visuais Estudantis), EPA (Educação Patrimonial e Artística) e no Centro Cultural de Barreiras, mostra de Vídeos PROVE (Produção de Vídeos Estudantis). As apresentações do TAL, FESTE e ENCANTE acontecerá dia 08/11 também no Centro Cultural e no dia 09/11 terá apresentação do DANCE e FESTE e encerramento das atividades.

Com o objetivo de entender a Arte e a Cultura como componentes essenciais ao conhecimento para a Educação Básica na Rede Estadual de Ensino, promovendo a socialização e interação estudantil na produção dos distintos saberes, artísticos culturais e corporais.

O estudante Alexander, do Colégio Estadual Isabel Araújo da Silva, localizado em Formosa do Rio Preto, diz que, essa experiência é memorável, construtiva, que levará para o resto da vida e contribuirá muito para sua formação acadêmica.

20171107_090810

“Uma experiência inigualável, sendo de fundamental e suma importância para o desenvolvimento e aprendizado, não só escolar. Dessa forma é uma enorme satisfação estarmos participando desse movimento cultural e artístico”. Estudantes do Colégio Estadual Antônio Inácio de Oliveira.

“Os projetos estruturantes têm sido um importante evento no meio escolar. No meu colégio é um dos momentos mais aguardado por todos nós alunos, mobilizamos o colégio inteiro. Além de agregar cultura, os projetos são uma forma de sair da rotina comum de aulas e aprender de outras formas a despertar nossa criatividade”. Davi Santana, estudante do Colégio Estadual Prisco Viana.

Secretaria da Educação promove o 5º Encontro Estudantil na Arena Fonte Nova

download

Mais de 30 mil estudantes da rede estadual de ensino deverão participar do 5º Encontro Estudantil: ciência, arte, esporte e cultura, de 21 a 23 de novembro, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Vindos de todas as regiões do Estado, cerca de quatro mil estudantes criadores irão expor produções científicas, artísticas, esportivas e culturais desenvolvidas durante o ano letivo 2016 nas escolas. A abertura oficial será realizada no dia 21, às 9h, no Salão das Artes (Nível 6). O encontro será aberto para a visitação pública, das 8h30 às 18h.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, disse que o Encontro Estudantil reflete as políticas públicas implementadas pelo Governo do Estado da Bahia, que contribuem para uma escola mais dinâmica. “O Estado vem investindo pelo fortalecimento pedagógico nas escolas e o Encontro Estudantil é um reflexo destas ações, que promovem o protagonismo dos nossos estudantes, por meio dos projetos capitaneados pelos professores em sala de aula”, afirmou.

Durante estes três dias, o principal palco do futebol da Bahia abre espaço para a música, as artes visuais, a literatura, o cinema, o patrimônio, os esportes, a dança, as ciências, a matemática, a educação profissional e tecnológica, para a educação de jovens e adultos, a inovação, o empreendedorismo e a tecnologia, entre muitas outras ações formativas e educativas, por meio de projetos estruturantes desenvolvidos nos contextos escolares.

Os estudantes criadores dos distintos projetos artísticos que participarão dos cursos preparatórios, acompanhados de professores e coordenadores, começam a chegar à capital baiana no dia 16 de novembro, quando os estudantes iniciam a participação em diversas oficinas, como literatura, canto e expressão corporal. As ações são preparativas para as apresentações das finais de cada projeto que ocuparão os níveis 3, 4, 5 e 6 da Arena Fonte Nova, além de atividades de preparação em estúdios, hotéis e em campo para a apropriação do conhecimento.

Projetos – O Encontro envolverá os seguintes projetos: Festival Anual da Canção Estudantil (FACE), Artes Visuais Estudantis (AVE), Tempos de Arte Literária (TAL), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Produção de Vídeos Estudantis (PROVE), Mostra de Dança Estudantil (DANCE), Encontro de corais (ENCANTE), Festival Estudantil de Teatro (FESTE) e a Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia (FECIBA). O evento também contará com os festivais de judô, xadrez, capoeira e Rugbyb, além de basquetebol especial, voleibol, futsal, handebol, basquete e vôlei, dos Jogos Estudantis da Rede Pública (JERP).

O encontro contará, ainda, com a Feira de Tecnologias Sociais da rede Estadual de Educação Profissional e Tecnológica da Bahia: território e intervenção social e com o Espaço Professor/Empreeendedor.  A atividade inclui a tenda digital, além de Simulador de Voo e da Caixa Preta, do Centro Juvenil de Ciência e Cultura.

Na programação, ainda, constam o segundo Encontro Estadual de Líderes de Classe, Exposição dos 10 anos do programa Todos pela Alfabetização (TOPA), contação de histórias e Transmissão do evento, ao vivo, para os estudantes das telesalas de aula do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC). A atividade marcará os lançamentos da Plataforma Anísio Teixeira e do Programa ‘Nas Ondas da Rede’ da Rádio Anísio Teixeira, a realização de palestras sobre a vida e obra de Anísio Teixeira, bem como de apresentações sobre o Instituto Anísio Teixeira e centros de formação de profissionais da Educação do país.

Estudantes e educadores dialogam sobre empoderamento negro e combate ao racismo

download

Com o objetivo de discutir temáticas como empoderamento negro e como a Educação para as Relações Etnicorraciais impactam no currículo e no Projeto Político Pedagógico (PPP) das escolas, a Secretaria da Educação do Estado, está promovendo, nestas terça e quarta-feira (8 e 9), no auditório da instituição, o III Colóquio para a Diversidade, com o tema “Currículo e equidade: um diálogo necessário”. A iniciativa faz parte das ações alusivas ao Agosto da Igualdade.

Durante a mesa temática, também foram abordadas questões como a Lei 10.639/03 e o enfrentamento ao racismo institucional. Os grupos de dança e de percussão Kaiodê, formado por estudantes do Colégio Estadual Sete de Setembro, localizado no Subúrbio Ferroviário de Salvador, animaram o encontro com apresentações de dança afro e declamação de poesia.

A professora da rede estadual, mestre em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Deyse Luciano Santos, fez parte da mesa e afirmou que “a proposta diz respeito às questões de gênero e afrodescendência que estão tão presentes em sala de aula e que precisam ser tocadas com muita sensibilidade”, afirma a educadora.

De acordo com a coordenadora de Educação para Diversidade da Secretaria da Educação do Estado, Erica Capinan, as discussões são essenciais. “Este colóquio colabora para o enfrentamento a práticas racistas e preconceituosas e ao mesmo tempo que visam a valorização da população negra”, destaca.

O estudante Tarcísio da Silveira, 16, 1º ano, se apresentou com os colegas tocando o instrumento surdo e diz que “é muito bom mostrar o nosso talento através de um trabalho desenvolvido na escola”. Evelyn Gonçalves, 15, 2º ano, ressalta o significado da dança para a afirmação da sua identidade. “Muitas pessoas descriminam a dança afro por ter pessoas negras dançando e nós queremos combater isso através de nossa arte”, diz.

O colóquio também contou com a participação da professora doutora em Educação, Silvana da Silva, da professora e pedagoga, Rosângela Correia, e do gestor do Colégio Estadual Sete de Setembro, Diógenes Ribeiro da Silva.

Estudantes participam com otimismo da primeira etapa de provas do ENEM

06_66
Os estudantes da rede estadual fizeram, neste domingo (5), as primeiras provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), concorrendo com um total de 6.731.202 milhões de inscritos em todo o país, sendo destes 490.233 inscritos na Bahia, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), responsável pela aplicação do exame. Os alunos da rede, que se prepararam durante todo o ano letivo para alcançar uma pontuação favorável ao seu ingresso no Ensino Superior, demonstraram confiança mas, ao mesmo tempo, não esconderam a ansiedade. Como este ano a aplicação das provas se dará em dois domingos consecutivos (extinguindo o sábado), os estudantes voltam a fazer provas do ENEM no dia 12/11.
A Secretaria organizou uma logística de transporte escolar para garantir o deslocamento dos estudantes que não moram em cidades onde foram realizadas as provas, para garantir a participação no Enem. Neste domingo, foram aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação,  com tempo de duração de 5h30 para os candidatos realizarem. Já no dia 12, serão as provas de Matemática e Ciências da Natureza, com duração de 4h30. Para a estudante  Nicole Azevedo, 18, que concluiu o 3º ano do Ensino Médio este ano, no Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, na Paralela, o primeiro dia do ENEM corresponde às áreas com as quais tem mais facilidade: História e Geografia. “Estou ansiosa, mas muito esperançosa em cursar uma faculdade de Gastronomia, que é o meu sonho. Não sou muito boa em Matemática, mas espero que no próximo domingo eu me saia bem o suficiente para alcançar os pontos necessários”, contou a aluna, que fez a prova do ENEM no Colégio Estadual Helena Mateus, em São Cristovão.
A estudante Ludmila Santos, 17, também ex-aluna do Colégio Aplicação, onde finalizou, este ano, o 3º ano do Ensino Médio, cumpriu, neste domingo, a primeira etapa do ENEM no Colégio Estadual Maurício de Nassau, em Lauro de Freitas. “Estou pleiteando uma vaga na área da Saúde: Fisioterapia ou Odontologia. Como o meu forte é Geografia e História, além de Biologia, penso que me dei bem nas provas de hoje. Minha preocupação é com Matemática, no próximo domingo. Mas estou acreditando que terei chances”, revelou.
Este ano, o Ministério da Educação (MEC) decidiu personalizar os cadernos de prova do Enem com o nome completo do candidato e o seu número de inscrição, junto com o respectivo cartão-resposta, visando aumentar a segurança do exame. Os estudantes, em geral, aprovaram a mudança. “Eu achei uma ótima ideia porque haverá um maior controle dos organizadores do ENEM, evitando fraudes ou extravios de cadernos de prova”, opinou Nicole Azevedo. A colega Ludmila Santos também considerou positiva a ação: “Muito boa a iniciativa porque, além de evitar roubos, o candidato não corre o risco de rasurar o cartão ao escrever o seu nome. Uma preocupação a menos para quem já está ali no limite da ansiedade”.